Marcel François Marie Joseph Lefebvre – Fundador da Irmandade Pio X.

Marcel François Marie Joseph Lefebvre

Nasceu em 29 novembro em Toucoing em Pas-de-Calais, Franca e faleceu em 25 de marco de 1991 em Martigny, Suica. Ele era um Arcebispo da igreja católica apostólica Romana e um líder dos católicos tradicionalistas que rejeitou as essenciais reformas do segundo concílio Vaticano II (1925-1965). Dentre estas reformas encontram-se a teologia e as implicações praticas de Nostra Aetate (declaração sobre a atitude da Igreja para as religiões não cristãs formulada no Concílio Vaticano II), o ecumenismo e da reforma litúrgica desde 1965.

Lefebvre integrou a comissão preparatória do Concílio Vaticano II. Terminado o Concílio, embora tivesse firmado todos os seus documentos, afligiam-no algumas questões entre as quais a liberdade religiosa e o ecumenismo, assim como a colegialidade dos Bispos (que lhe parecia diminuir o papel do Papa). Tudo isto pareceu a Lefebvre uma guinada da Igreja em direcção ao modernismo e ao liberalismo, condenados por Papas anteriores. Convencido de que o Concílio conduzira a Igreja para o erro, Lefebvre colocou-se contra o que considerava a “protestantização da Igreja”. Nos anos seguintes, em repetidos artigos e homilias, falou contra as novidades trazidas pelo Concílio que, na sua opinião, punham em xeque a Tradição da Igreja e eram resultado de uma infiltração maçônica, principalmente pela Missa Nova

Padre_Pio_kissing_the_sacred_ring

Em abril de 1967, três anos antes de fundar a SSPX (Irmandade São Pio X), Arcebispo Lefebvre (à esquerda) Resumidamente conheceu Padre Pio para pedir sua bênção em um próximo Capítulo Geral dos Padres do Espírito Santo.

Por causa disso Marcel Lefebvre fundou em 1969 a irmandade de sacerdote São Pio X. Em 1976, em virtude de sua consagração como sacerdote sem cartas dimissórias, ele foi suspenso por Paulo VI e em 1988 sob a regência de Joao Paulo II, devido à ordenações episcopais ilícitas como bispo, foi-lhe aplicado a sentença automática de excomunhão.

Veja no vídeo abaixo mais uma dos memoráveis discursos dele. Neste caso, o tema é sobre o ecumenismo.