A Devoção Às Quinze Dores Secretas de Jesus

Geralmente, quando se fala na dor do Senhor Jesus Cristo é comum não se interiorizar quão intenso foi este martírio. Além de Sua morte na Cruz, o Senhor revelou à uma Santa Mulher as suas 15 dores secretas reveladas antes de ser crucificado, além do Seu pedido de devoção às estas 15 dores.

As perseguições ao Nosso Senhor Jesus Cristo iniciaram já desde o seu nascimento com Sua Santíssima Mãe tendo que ir para Belém. Quando adulto sofreu também as constantes perseguições dos Judeus, a traição e o abandono. Na Cruz sofreu o maior tormento, a maior dor. Mas quão grande foi esta dor?

O vídeo abaixo explica quão grande foi este sofrimento na cruz.

As Quinze Dores Secretas de Jesus Cristo e Sua Devoção

O Senhor Jesus Cristo após ser traído também foi submetido a terríveis sofrimentos que não é de conhecimento de muitos. Ele dá-nos a conhecer estes 15 momentos terríveis e pede a devoção a este tão grande suplício. A oração também se encontra em formato de vídeo no fim da página

Jesus comunicou verbalmente à piedosa e amorosíssima Irmã Maria Madalena, da Ordem de Santa Clara, que então vivia em Roma, em reconhecida fama de santidade, as quinze dores secretas que suportou na noite anterior à Sua Paixão. Jesus atendeu ao pedido desta Irmã que desejava conhecer, por amor, as torturas que nesses momentos sofrera e que até então eram desconhecidas.

Jesus Cristo apareceu-lhe e disse: Os judeus consideravam-Me o homem mais perigoso do seu tempo e trataram-Me deste modo. (a)

a) “Olha para as Minhas chagas. São ferimentos que recebi na casa de Meus amigos” (Zac 13, 6).

 

1- Ataram-Me os pés com uma corda e arrastaram-Me por uma escada abaixo, para uma cave fedorenta e imunda;

1


 

d

2- Despojaram-Me das Minhas vestes (b) e cobriram o Meu Corpo de Chagas com pontas de ferro (c);

2

b)  Não completamente, por intervenção da Santíssima Virgem junto do Eterno Pai, escreve Maria d´Agreda (n. 1290).

c) “Foi coberto de chagas” (Is. 53,5).


d

3- Ataram uma corda à volta do Meu Corpo e arrastaram-Me pelo chão, de uma ponta a outra da cave (d);

3
 
d)“Sou como a água que se derrama e todos os Meus ossos se desconjuntaram” (Sl. 21, 15). Quando se lê com atenção e amor este salmo, intitulado: “A oração do Justo sofredor”  não podemos deixar de nos impressionar com o número de coincidências com as “Quinze Dores Secretas” de Jesus, as quais, por si só, realizam de certo modo, o exato cumprimento da profecia do salmista.

d

4- Ligaram-Me a uma trave de madeira e nela Me deixaram suspenso, até que escorregasse e caísse por terra, este sofrimento fez jorrar dos Meus olhos lágrimas de Sangue; (e).

4
e) “Eu, porém, sou um verme da terra e não um homem” (Sl. 21, 7).

d

5- Fixaram-Me a uma estaca e martirizaram-Me com toda espécie de armas, varando-Me o Corpo (f); atiraram-Me pedras e queimaram-Me com brasas e archotes;

5
 
 f)  Ver ainda Isaias 53, 5 (n. 2 supracitada).

d

6- Atravessaram-Me com sovelas e agulhas e arrancaram a pele e a carne do Meu Corpo e das Minhas veias;

6

d

7- Ataram-Me a uma coluna e colocaram-Me os Pés sobre uma chapa metálica incandescente; (g)

7
 
g) Só a sétima dor secreta de Jesus explica a chaga viva da planta dos pés do Salvador, de que fala Isaias (1,6).

d

8- Coroaram-Me com uma coroa de ferro e vendaram-Me os Olhos com trapos repugnantes;

8

d

9- Assentaram-Me sobre uma cadeira cheia de pregos aguçados, que abriram profundos buracos no Meu Corpo;

9

d

10- Aspergiram as Minhas com resina e chumbo fundido e lançaram-Me da cadeira abaixo;

10

d

11- Para vergonha Minha e Meu suplício cravaram agulhas e pregos nos furos da Minha barba, já violentamente arrancada; (h)

11t
h) “Vai ser entregue aos gentios, vai ser escarnecido, maltratado e coberto de escarro” (Lc. 18, 32)

d

12- Atiraram-Me sobre uma Cruz, à qual Me amarraram com uma corda de pés e mãos, com tal força e dureza, que estive quase a ponto de ser asfixiado;

12

d


13- Espezinharam-Me a cabeça; um deles pôs-Me o pé sobre o peito e atravessou-Me a língua com um espinho (i) da Minha coroa; (j)

13

i)  “Os espinhos eram tão horrorosos, esses espinhos que penetraram na cabeça do meu Senhor, que teria morrido por várias vezes, se tudo houvesse de acontecer por um processo natural” (Exorcismo de R. na Suíça, no dia 23.Jan 1978. Confissão de Judas Iscariotes – cf. a obra “Avisos do Além. Confissões do Inferno, citada na pág. 25, a seguir).

j) A coroa de que falou no n.8.

d


14- Deitaram-Me as mais horríveis imundícies na boca; (k)

14
k) Alguém manifestou um espanto de “escândalo”, lendo este texto, afirmando que não poderia ter acontecido. Mas aquilo que está profeticamente escrito em Isaias: “Não desviei o Meu rosto dos que me ultrajavam e cuspiam” (50,6) não será tão horrível e mesmo de qualquer modo aceitável? E São Marcos precisa-o muito bem: “Revestiram-No de um manto de púrpura e cingiram-Lhe uma coroa de espinhos, que haviam tecido. Depois começaram a saudá-Lo. “Salve, ó Rei dos judeus!”. Bateram-Lhe na cabeça com uma cana, cuspiam-Lhe e, cobrando os joelhos, prostravam-se diante dEle. Em seguida, depois de O terem escarnecido, tiraram-Lhe o manto de púrpura…”(Mc. 15, 17-20).Maria de Agreda escreve (n 1288) o que ela própria viu, enquanto Jesus estava na prisão (onde sofreu as dores secretas): “Os ministros da iniquidade… essa corja repugnante, puseram-se a escarrar-Lhe PORCAMENTE na face”.Aliás, a resposta a esse “escândalo”, é ainda Isaias – o canto sagrado de Cristo sofredor – que no-la dá (50,7): “O Senhor Deus veio em Meu auxílio, por isso Me não senti confundido… e sei que não ficarei envergonhado”.O que se passa no decorrer destas missas negras – cerimónias orgíacas, chamadas pelos iniciados “missas de satanás”, com os inumeráveis ultrajes sofridos por Cristo na Sagrada Hóstia, não é acaso um escândalo que ainda hoje se renova todos os dias e por muitas vezes em países de cristãos como são os nossos?

d

15- Fizeram recair sobre Mim uma torrente de injúrias infames, ligaram-Me as mãos atrás das costas, conduziram-Me para fora da prisão, batendo-Me e vergastando-Me vezes sem conta; (l)

15
l) Ao olhar para os textos sagrados e proféticos da Paixão do Messias (Cap. 50 do Livro de Isaias, Salmo 68, de David…) não nos será permitido pensar que haverá mesmo outras dores secretas de Jesus, além das que aqui nos são reveladas? Por exemplo, a do Salmo 68, versículo 22: “Misturaram fel na Minha comida e na Minha bebida e deram-Me vinagre a beber”. 

d

“Minha querida filha! Peço-te que faças de muitas almas estas Minhas angústias e dores secretas a fim de que sejam meditadas e honradas (m). No dia do Juízo final, Eu darei uma eternidade feliz àquele que, por Amor e com recolhimento Me tenham oferecido todos os dias um destes Meus sofrimentos, completando essa oferta com a seguinte oração:”

d

m) O mesmo pedido foi dirigido ao autor deste documento impresso através de uma alma privilegiada, no dia 12 Junho 1971: “Que ele divulgue as Minhas dores secretas!” Outros sinais foram exigidos pelo autor, para vencer as suas reticencias e resistências, fazendo-o decidir finalmente a fazer surgir este documento passado dois anos.

Devoção às Quinze Dores Secretas de Jesus

A cada flagelo acima, meditar e  rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória ao Pai. Ao final de cada meditação, conclui com a oração abaixo

Oração

“Meu Senhor e meu Deus! É minha irrevogável vontade honrar-Vos, louvar-Vos e adorar-Vos pelas Vossas quinze dores secretase pelo derramamento do Vosso Sangue.
Quanto grãos de areia haja no mar, grãos de terra nos campos, rebentos de erva em toda Terra, frutos sobre as árvores, folhas nos ramos, flores nos campos, estrelas no firmamento, Anjos no Céu e criatura sobre a Terra, tantos milhares de vezes sejam adorados e glorificados o Senhor Jesus Cristo, o Seu Santíssimo Coração Seu preciosíssimo Sangue, o Sacrifício divino da Santa Missa e o Santíssimo Sacramento do Altar; sejam louvados e glorificados a Santíssima Virgem Maria, os nove coros gloriosos dos Anjos e a multidão dos Santos, por mim e por todos os homens, agora e por toda eternidade (n).

Tantas vezes desejo, meu bem amado Jesus, agradecer-Vos, servir-Vos e agradar-Vos, reparar todos os ultrajes que vos são feitos e pertencer-Vos de corpo e alma.

Quero muitas vezes arrepender-me dos meus pecados e pedir-Vos, a Vós, ó meu Deus, perdão e misericórdia.
Quero também oferecer ao Eterno Pai os Vossos méritos infinitos, em reparação das minhas faltas e dos meus pecados, e pelos meus tão merecidos castigos. Estor firmemente decidido(a) a mudar de vida e peço-Vos que, à hora da minha morte, me sinta feliz e em paz.

Quero também rezar pela libertação das pobres almas do Purgatório. Desejo renovar fielmente este louvor de reparação e amor em cada hora do dia e da noite, até o último instante de minha vida.
Peço-vos, meu bom e amabilíssimo Jesus, que confirmeis no Céu este meu sincero desejo. Não consintais, Jesus, que ele seja destruído pelos homens e, muito menos ainda, pelo espírito maligno.

Amém.”

n) “Os Anjos recolhem os vossos cantos de amor” (11 Fevereiros 1972).

No dia 4 de Junho de 1972, o Senhor dirigiu-Se a a todos: a todos os que se sintam realmente “Seus amigos” pedia, pela boca de uma das Suas mensageiras:

“É PRECISO DIVULGAR MINHAS DORES SECRETAS.”

” Compadecei-vos de Mim, compadecei-vos de Mim, ao menos vós, que sois Meus amigos, porque a Mão de Deus feriu-Me!…” (Job 19,21)

Quero também oferecer ao Eterno Pai os Vossos méritos infinitos, em reparação das minhas faltas e dos meus pecados, e pelos meus tão merecidos castigos. Estor firmemente decidido(a) a mudar de vida e peço-Vos que, à hora da minha morte, me sinta feliz e em paz.

Quero também rezar pela libertação das pobres almas do Purgatório. Desejo renovar fielmente este louvor de reparação e amor em cada hora do dia e da noite, até o último instante de minha vida.

Peço-vos, meu bom e amabilíssimo Jesus, que confirmeis no Céu este meu sincero desejo. Não consintais, Jesus, que ele seja destruído pelos homens e, muito menos ainda, pelo espírito maligno. Amém.”

Vídeos da Oração.

Vídeo 1
 Vídeo 2
Partilhe e Ajude a Divulgar Esta Devoção.
Fonte: gloria TV.