27 Novembro 2007 – Jesus Fala Durante a Adoração do Santíssimo Sacramento

Mensagem de Jesus à Anne.

27 Novembro 2007 – Terça feira. Jesus fala durante a adoração ao Santíssimo Sacramento do Altar, para ensinar a oração do coração.

Jesus fala: Meus amados filhos, Eu irei ensinar-vos o diálogo que Eu manterei convosco.

Eu já desejo há tempos, que vós faleis Comigo como se Eu fosse vosso amigo, como Eu fosse vosso noivo. Contudo, quão raramente Eu recebo palavras de amor de vós. Palavras de amor na oração, mas não dos vossos corações. As palavras devem fluir dos vossos corações. Se Eu derramo Meu amor e este preenche vossos corações, então vossa boca irá transbordar e, isso, Eu gostaria de ensinar-vos hoje.

Vós Me recebestes em Meu Santíssimo Sacramento. Eu entrei em vossos corações com Minha divindade e humanidade. Eu desejo que vós sempre saboreeis e vivencieis continuamente este milagre, este Santo milagre. Eu gostaria de ouvir palavras de amor de vós. Não aquelas as quais vós pensais, mas aquelas que vós Me dais (do coração), aquelas que vós dizeis a Mim quão muito vós Me amais, apesar de vossa indignidade, apesar de vossa imperfeição. Contudo, Eu sempre conecto Minha imperfeição com vossa imperfeição; conecto vossos corações pecaminosos com o Meu coração Divino. Se fizerdes isso, sereis membro de Meu corpo. Vós estais em Minha videira e dareis frutos.

Porém, como isto é possível, caso vós não falais comigo? Se vós não mantendes nenhum diálogo, então Eu também não estou aí para vós. Como posso entrar em vossos corações, se vós não o abrirdes para Mim? Se vós dissésseis, ao menos:

“Meu Jesus, eu abri a porta de Meu coração. Entre. Eu gostaria de vos acolher em Divindade e Humanidade. Vinde com Vosso grande amor. Venha, Senhor Jesus, Vinde! Dai-me apenas o Seu amor e então tenho tudo. O mais lindo presente que Vós tendes para Mim é o Seu amor neste Santo Sacramento.”

Aí, Eu posso dizer-vos quão muito Eu vos amo. Sim, contemplai-Me. Eu estou aqui, de fato. Não podeis vós conceber com vossos corações e sentir que Eu estou aqui? Que Eu gostaria de ouvir de vós palavras de amor? Quão pouco vós conversais comigo. Isto fazem todos os que dizem suas orações a Mim. Porém, quão poucos falam, de fato, comigo? Sim, eles passam indiferentes diante do Meu Santo Sacramento.

É certo e bom quando vós rezais o Rosário e o envia à Minha Mãe. Porém, vós não tendes também um momento para Mim? Não podeis dizer-Me nenhuma palavra de vossos corações? Quanto tempo e quanto desejo vossa resposta:

“Jesus, eu estou aqui. Jesus, eu gostaria estar aqui para vós. Jesus, tomai-me totalmente, tomai-me totalmente com meu coração impefeito e conecte-o convosco. Faça dele uma chama de amor, para que este amor também possa ser transmitido para os outros. Eu sei, amabilíssimo Jesus, que eu não estou aqui para mim. Eu estou aqui para os outros. Este amor, o qual me enviais, deve passar para outra pessoa, pois eu recebi esta dádiva para transmiti-la. Eu sou o donatário e não o outro. Eles esperam por esta dádiva. Todavia, se o vosso amor não penetra profundamente em mim, então eu não posso transmití-la. Minha boca deve transbordar de Suas palavras.”

Dizei-Me sempre:

 “Jesus, Vós estás aqui. Eu acredito em Ti, Eu espero em Ti e Te amo”.

A primeira dádiva que vós recebestes foi o Meu amor. Não pensei primeiramente em vós? Não desejei-vos na vossa concepção? Se Eu não tivesse estado (presente) aí e não estivesse de acordo com isso, vós não teríeis nascido. Por isso, agradecei-vos sempre pelo fato de que Eu vos trouxe a este mundo, no qual vós podeis acreditar em Mim, acreditar nesta grande dádiva.

Eu bato repetidamente nas portas (de vossos corações) e as encontro frequentemente fechadas. Isto Me causa dores. Vós passais por Mim indiferentes. Vós ajoelhais diante de Mim, porém, falais Comigo? Não estou sempre aqui em vossa igreja-casa todo o tempo à disposição para falar convosco? Vós pensais em todas as outras coisas, mas não num diálogo comigo.

Agora, Eu gostaria de vos ensinar este diálogo, para que com isto, possais sentir como são as coisas quando Eu, vosso amorosíssimo Jesus, tenho que sentir esta solidão continuamente. Imaginai se elas sempre passassem indiferentes ao vosso lado, todas as pessoas, e não prestassem atenção em vós? Quão muito iríeis também sofrer? Contudo, a divindade é muitíssimo grande e sente muito mais forte, tão forte que vós não podeis imaginar. Senti Comigo e dizei a Mim vossas alegrias, mas também vossos sofrimentos. Não estou aqui para tudo? Tudo que inclui o que vivenciais no dia.

Falai continuamente do sobrenatural. Pois, como sabeis, o pecado separou o homem do sobrenatural e, por isso, muitas pessoas não estão mais juntas de Mim. Sim, eles não podem falar para mim, porque muitos não têm mais acesso a Mim. O acesso está aí, quando elas, por amor, arrependem-se de seus pecados do fundo do coração. Assim então, esta ligação para Comigo está presente de novo.

Para esta união com estas pessoas, as quais Eu aguardo cheio de ânsia, vós podeis rezar, sacrificar e sofrer. Esta dor aguda, que vos fere, vós podeis enviá-las a Mim. Estai dispostos para Mim, pois como sabeis, Eu, primeiramente, padeço esta negação e não vós. Quão frequente pensais que sereis afetados. Não, Eu sou Este que será afetado em vossos corações.

Contudo, Eu vos amo em sobre medida. Amai-Me novamente e consolai-Me. Estai para Mim várias vezes ao dia e dizei: Meu Jesus, Eu quero agora fazer um momento de silêncio em meu coração, pois eu sei que, somente no silêncio, o Senhor vem em meu coração, não em atividade (ou agitação), não em oração em voz alta. Não, vós deveis fazer silêncio. Quão pouco praticais vós este silêncio!

Se vós quereis praticar o abandono, então praticais, primeiramente, o silêncio, mas não a oração em voz alta diante da exposição do Santíssimo Sacramento. Vossa oração do coração é importante. Eu estou, sim, aqui. Eu falo, sim, sempre convosco. Se vós não fazeis o silêncio, não podeis ouvir também Minha voz. Eu não serei, de forma alguma, abordado por vós. Como posso Eu dar-vos resposta? Não quereis nenhuma resposta de Mim? Não quereis incluir-Me neste grande Sacramento?

Praticai isto, Meus filhos, pois é tempo que vossa boca transborde. Eu também faço os aromas dependentes disso. Os perfumes também são uma dádiva. Se vós não falais comigo, então não podeis também receber estes perfumes. Os perfumes são dádivas. Os perfumes são uma resposta de Meu amor, quando vós Me incluis.

Anne fala:
Nós arrependemos de coração, que nós nos recolhemos tão pouco, recolher em silêncio junto de Vós. Vós estais sempre aqui. Vós estais sempre disposto à conversa do dia. Ninguém poderá estar sempre aqui para nós. Porém, vós estais presente em todos os lugares do mundo para todas as pessoas.

E assim, nós queremos, ao menos, dizer-vos frequentemente: Jesus, vós estais aqui com a Divindade e Humanidade e Eu Vos amo de todo o coração e gostaria de Vos consolar. Eu gostaria de colocar o meu coração em Vossas feridas, em Vossas feridas dolorosas que todo o mundo causou. Eu gostaria mergulhar em Vosso amor. Eu Vos recebo em Vosso Santíssimo Sacramento em Corpo e Sangue.

Se eu pudesse apenas acreditar profundamente! Oh Jesus, ensinai-me uma fé profunda. Que eu acredite que vós podeis salvar todas as pessoas. Por elas, eu vos peço. Elas chamam por vós.

Quão superficial eu me tornei em alguns dias nestas conversas, sem vos dizer o que se passou nelas. As pessoas que telefonaram com grande necessidade, gostariam de confiar em vós. Porém, elas não sabem como esta confiança poderá ser mais profunda. Elas não sabem como elas podem falar Convosco. Nós queremos implorar por estas pessoas, para que Vossa amorosíssima Mãe pegue na mão delas e as guie. Ela estará sempre solícita para estas pessoas, quando eu Vos digo isto.

Quando Eu vos digo algo, então eu posso fazer-me pequena diante de Vós. E, isto, desejais vós. De joelhos Eu devo estar diante de vós. Meus joelhos dobram-se diante de Vossa Divindade. Se eu imaginar que Vós, a grandiosa Divindade, está aqui com a Divindade e Humanidade e que está a cada momento, à minha disposição, vem sobre mim uma grande ânsia.

Sou eu suficientemente agradecida para Convosco? Não. Eu gostaria de demonstrar-vos tão frequentemente o meu agradecimento. Porém, eu sou tão fraca. Somente através de Vós é que eu sou o que sou. Vós sois, sim, Aquele que, fala aos homens através de mim. Vós não me deixais momento algum sozinha. Vós me vedes com Vossos olhos Divinos. Nós somos Vosso pequeno instrumento, um pequeno nada, vós dizeis continuamente. Derramai vosso amor em nós.

Às vezes, o orgulho faz-se perceptível em nós. Depois pensamos que nós realizamos isto. Porém, somente Vós podeis operar tudo em mim. Eu não sou capaz de nada. Nem mesmo um dedo eu posso mexer, se Vós não quereis que ele se mexa. Tão pequena sou eu e gostaria de permanecer assim, amado Salvador.

Ajudai-me continuamente a implorar a Vossa Mãe, a Intermediadora de Gracas, que Ela me instrua a exercitar esta pequenez em mim. Ela exercerá a Sua assistência maternal em mim e pedir a mim toda a virtude: A virtude da fidelidade, da humildade, da mansidão, da bondade. Eu gostaria de aprender todas as virtudes de Vós, amorosíssima Mãe, mas com a minha vontade, isto não está tão longe (de alcançar).

Se Vós tomardes firmemente o meu coração em vossas mãos, amada Mãe, trazei-me, assim, para o para o Vosso Filho e dizeis: Aqui está o coração. Fazei-o solícito, fazei-o santo, deixai-o progredir no caminho da santidade. Frequentemente, sentimos que isto não é possível para nós. Como Mãe, Vós ireis cuidar que eu possa exercitar estas virtudes para aspirar à perfeição.

Obrigado por estas palavras, amorosíssimo Salvador. Nada delas vieram de mim, mas porque Vós estais aqui.