15 Setembro 2015 – Festa das 7 Dores da Mãe de Deus

Mensagem da Mãe de Deus à Anne.

15 Setembro 2015 – Festa das Sete Dores da Santíssima Maria. A Mãe de Deus fala após o Santo Sacrifício da Missa Trindentina segundo Pio V. na casa da Glória em Mellatz através de Seu instrumento e Filha Anne que se encontra doente no leito.

Anne: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Hoje vós celebrastes o Santo Sacrifício da Missa de maneira digna como sempre, e o Altar da Mãe de Deus e também o Santo Arcanjo Miguel estavam mergulhados em uma luz brilhante, dourada e prata, neste dia da Festa da Mãe de Deus, festa das Sete Dores da Santíssima Maria.

A Mãe de Deus falará hoje nesta Sua Festa das Sete Dores: Eu, vossa Mãe Celestial, a Mãe de Deus e a Portadora de Deus, dou-vos hoje neste dia da Festa das Sete Dores algumas instruções, através de Minha filha Anne, que se encontra totalmente na vontade do Pai Celestial e repete somente palavras que vem de Mim.

Sim, Meus amados e você, Minha pequena amada, você quase não pode entender que apesar de suas excessivas dores, deves transmitir a humanidade uma mensagem. Com isto ela (a humanidade) deve neste dia especial celebrar e se recordar de Minhas dores. Eu mesmo estava de pé junto da cruz e pude, e tive que padecer a maior das dores, porque o Pai Celestial na Trindade assim o quis. Eu pude acompanhar o Meu Filho, o Filho de Deus, Jesus Cristo, no Seu caminho do calvário e estava presente e junto no momento de Sua crucificação e também após ela.

die-passion-christi-G1_741457

Eu tive que sofrer a maior das dores. Ele, Meu Filho Jesus Cristo, confiou estas dores a Mim, por isso Eu serei também coroada como a corredentora. Eu sou a Mediadora Cheia de Graça, a Intercessora em todas as questões urgentes que Eu trarei ao Pai Celestial. Eu sou também a Corredentora. Muitas pessoas hoje não querem nisso acreditar. Eles não veem a plena verdade. O Meu Filho exigiu o dificílimo de Mim, Sua amorosíssima Mãe, com a qual Ele tão profundamente estava ligado, que deu-Lhe a luz. Mesmo Eu, como Mãe Celestial, tive que aguentar também a pior das dores.

E assim Eu reúno Meus filhos  igualmente sob a Cruz. Você, Minha pequena Anne, teve que sofrer  hoje o pior dos sofrimentos, que para você é incompreensível. Você quase não pode aguentar isto e não esperava que ainda pudesse receber uma locução (mensagem). Porém, Eu, como Mãe Celestial, desejo desta forma para que a humanidade saiba que aqueles, que o Pai Celestial coloca próximo de Si, sofre o maior dos tormentos, como em seu caso, Minha pequena, pois Jesus Cristo, o Filho de Deus, sofre mais uma vez estes tormentos em teu coração, porque os Seus sacerdotes não querem demonstrá-Lo obediência alguma, porque eles não querem celebrar este Santo Sacrifício da Missa com toda a reverência, porque eles não Me reconhecem como a Portadora de Deus, como a Mãe de Deus e, até mesmo, chamam-Me apenas como Maria. Isto segundo eles, poderia ser considerado como qualquer Maria, mas jamais consideram-Me como Portadora de Deus, como Mãe de Deus.

Em todas as instituições, associações e comunidades religiosas Eu sou referida como Maria. Isto não corresponde de forma alguma à vontade do Pai Celestial. No início Eu era Maria, mas depois da saudação do Anjo Gabriel, após o anuncio, Eu fui encoberta pelo Espírito Santo e o Santíssimo tornou-Se em Mim pessoa, Jesus Cristo, o Filho de Deus. Após isto Eu tornei-Me a Mãe de Deus e nunca mais Maria.

Vós, Meus pequenos amados, estais informados disso, mas o mundo deve saber que eles devem somente chamar-Me de Mãe de Deus. Da forma em que eles hoje tratam o Meu nome, chamando-Me somente como Maria, contribuiu e contribui para surgir muito prejuízo moral em torno do Meu nome. Muitas comunidades religiosas de profunda tradição assumiram esta palavra Maria e isto trouxe este desentendimento e, junto com ele, trouxe este pecado de que Eu não mais fui honrada como a Mãe de Deus, mas sim como uma simples Maria e de que Eu não deveria ser (a Mãe de Deus). Portanto vós, Meus amados, nunca Me chamais novamente de Maria, mas sempre de Mãe de Deus.

Assim Eu tenho de derramar a Graça plena, o contrário não. Muita Graça permanece no meio do caminho em consequência de não honrarem Meu nome. Muitas delas se perdem desta maneira, pois os sacerdotes devem ser salvos de seus graves pecados e do modernismo. Na igreja modernista penetrou tanta coisa, tanto pecado grave, que vós não podeis jamais imaginar. E a sua dor hoje, Minha pequena, é consequência disso.

Eu agradeço-te por ter suportado isto, pois nenhum analgésico pode tirar esta dor, você apresentou esta dor como sacrifício ao teu Jesus que sofre em você pelos sacerdotes. Isto deveria ser desta forma. Você pegou em Minha Mão, Minha Mão de Mãe. Eu sabia de sua dor e Eu carreguei-a com você. Além disso, Eu chorei contigo, porque Eu quase não pude suportar isto que você, neste dia de hoje, teve que sofrer, Minha Filha.

Eu não pude retirar este sofrimento de você, mas somente ajudar-te a carregá-lo. Eu quis consolá-la da maneira, pela qual você soubesse que o Pai Celestial também exigiu de Mim o pior sofrimento, pois isto se trata do sofrimento pelo mundo e da missão mundial o qual faz parte.

Acreditai e confiai que o Pai Celestial altera tudo segundo a Sua medida e Sua Vontade. Muitas vezes não parece ser assim, pois o caos chegou por toda a parte e o pecado grave penetrou agora na igreja católica, este pecado da impureza. A Alemanha é, de forma especial, a mais afetada por isso: Cardeais, Bispos e Sacerdotes. Por isso Eu sofro muitíssimo, como Mãe Celestial dos sacerdotes, com este pecado grave da impureza.

Eu, de forma bastante intima, peço-vos, Meus filhos, sacrificai pelos sacerdotes este sofrimento que também vós como filhos padecestes, para que com isso eles se tornem dispostos a converterem-se e definitivamente se declarem, em alguns outros países e regiões, a celebrar o Santo Sacrifício da Missa no verdadeiro Rito Tridentino.

Somente este Santo Sacrifício corresponde à verdade e derrama as maiores Graças sobre a humanidade, sobre o mundo, o qual necessita urgentemente destas Graças. Vós assumistes a responsabilidade, pois aceitastes este sofrimento, além do facto de que há muitos anos terdes celebrado e concelebrado o Santo Sacrifício da Missa como no único e verdadeiro Banquete Sacrificial. Vós estais em grande benção e Graça, mas ao mesmo tempo na dor pelo mundo e na missão mundial.

Vós sereis perseguidos ao máximo. Não ficareis, a saber, de muita coisa porque Eu posso manter esta perseguição à distancia, Eu como Mãe de Meus filhos, os quais Eu amo muitíssimo, os quais Eu apoiarei em qualquer situação e os quais nunca se sucumbem em seus sofrimentos. Quando eles também carregam graves sofrimentos, através de Mim, eles podem sacrificá-lo, pois Eu os auxilio como Mãe. Eu amo os Meus filhos e estou junto deles. E estou junto deles também para consolo com muitos e muitos Anjos.

Assim, sejais hoje abençoados no amor de vossa amorosíssima Mãe, que está junto de vós, que vos abraça e que vos consola, com todos os Anjos e Santos no Deus Trino, do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Não desistis, mas continuais a carregar este sofrimento pelo mundo, para que tudo possa mudar e para que o Pai Celestial possa ainda salvar muitos sacerdotes do abismo eterno, que são muito importantes para Ele e, especialmente para Mim, como Mãe e Rainha dos Sacerdotes.