12 Junho 2016 – Quarto Domingo Após Petencostes

Mensagem da Mãe de Deus à Anne.

12 Junho 2016 – Quarto Domingo Após Petencostes. A Mãe de Deus fala a pós o Santo Sacrifício Tridentino segundo Pio V., através de Seu instrumento e filha Anne.

Anne: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém. Hoje, 12. Junho 2016, celebramos o quarto domingo após Pentecostes. Hoje, dia 12, é também o dia da Mãe de Deus, dia no qual os Muldaner (pessoas que vão à Mulde, Heroldsbach) estão ai presentes e participam da noite de expiação. O Altar do Sacrifício e o Altar da Mãe de Deus estavam imersos em luz dourada durante o Santo Sacrifício. O adorno das flores e velas estava bastante expressivo. Era como num dia de festa. O menino Jesus e o pequeno Rei do Amor estavam especialmente imersos em luz clara.

A Mãe de Deus falará hoje: Eu, vossa amorosíssima Mãe, falo neste domingo de hoje, que também é Meu dia de festa, para vós, Meus amados filhos, através de Meu obediente e humilde instrumento e filha Anne, que se encontra na vontade do Pai Celestial e repete somente palavras que hoje vem de Mim.

Amados filhos de Maria, amados filhos do Pai, pequeno rebanho amado, seguidores e também peregrinos de perto e de longe. Quão muito esperei hoje por este dia. Estais protegidos em qualquer a situação, pois Eu vos amo. Todavia o mal vos circunda. Ele quer ainda vos dissuadir da verdade até o último momento e tentará sempre colocar uma pedra no caminho. Mas tende confiança, pois o amor de Deus durará acima de tudo.

Hoje, Meus amados filhos Marianos, ouvistes sobre a pesca abundante. Sim, o Pai Celestial necessita de vossa ajuda. Ele necessita de vossos pés para que ides àqueles que ainda estão muito distante do caminho da fé e que, através de vosso testemunho, através de vosso firme testemunho, difundais a verdadeira fé através de vossa essência, através de vosso amor que trazeis ao outro. Vós deveis ter compreensão pelos muitos que não acreditam, que estão distantes, muito afastado da fé. Aqueles que vivem no mundo e aproveitam os prazeres mundano.

O mundo está diferente, Meus amados filhos. Vós tendes vossos sofrimentos e nestes sofrimentos podeis agradecer. Muitos não vos compreendem e muitos não ficarão, a saber, o que se passa em vossos corações, pois as coisas não são segundo os vossos desejos. Eu, o Pai Celestial, sei tudo o que vos falta para a salvação, para a salvação eterna. Muitas coisas estão ainda em vossos corações, os quais ainda tem que ser purificados. O ego está ainda presente muito forte em algumas pessoas. Se Eu escolhi uma pessoa, Eu irei purificá-las para que ela seja totalmente Minha. Totalmente Minha significa que ela reconheça a Minha vontade e não siga seu desejo.

Sim, o que significa de fato a rica pesca? – Transmitir o amor, viver o amor ao inimigo, ter atenção que Eu não firo outra pessoa, mas que Eu a deixo do jeito que ela é. Frequentemente Eu gostaria de mudá-la, porque ela não faz a Minha vontade. Contudo, Eu perceberei mais tarde que ela não quer mudar. Dai Meus amados, não desesperais, mas entregai-a solícitos em Minhas mãos. O que é Meu é também teu. O amor que Eu entrego no coração do descrente é diferente daquele que podeis imaginar. Eu amo toda pessoa, mesmo aquela que não acredita, mesmo aquela que Me despreza, Me zomba, Me nega. Também deste Eu vou atrás. E através de vossas expiações, Meus amados, Eu posso salvá-lo. Sim, Meus amados filhos de Maria, frequentemente não é fácil cumprir a vontade do Pai Celestial, a vontade de Meu Filho.

Este sofrimento na terra é frequentemente intolerável, contudo olhai para Meu sofrimento e olhais também para Minha ajuda. Tenho Eu, como Mãe Celestial, vos deixado alguma vez sozinhos?

Tenho Eu sido indiferente para com os vossos sofrimentos? Não, Eu vos tomei na mão e conduzi ao Pai Celestial. Eu peço o Pai Celestial constantemente para que Ele possa tornar vosso sofrimento tolerável. Isto não significa que sereis preservados do sofrimento na terra. Não, pelo contrário, os sofrimentos são muito difíceis de tolerar, todavia estes sofrimentos vos conduzem para a salvação eterna, para a eterna glória. Lá tudo é totalmente diferente. Lá as queixas das dores param. Lá são eternas alegrias, pois também vós quereis participar mais uma vez do eterno banquete.

Quão muito Eu amo, sim, Meus sacerdotes que não acreditam que não adoram, não esperam e não amam. Eu olho em suas mãos, em suas mãos abençoadas e peço ao Pai Celestial para que Ele possa abençoá-las e consagrá-las novamente, senão elas estariam consagradas à ruína. E Eu jamais gostaria de ver um sacerdote precipitar no abismo eterno, pois Meu sofrimento, como Mãe, como Mãe Celestial, torna-se insuportável.

Meus amados filhos, vós continuais a acreditar, vós confiais e olhais para Meu sofrimento, para o sofrimento de Meu Filho e sacrificai e expiais, especialmente vós de Mulde. Eu vos agradeço hoje pelos muitos sacrifícios que oferecestes na noite de expiação. Rezai, expiai e não poupai esforço algum. No dia de amanhã estareis em Mulde e celebrais lá o Santo Sacrifício Tridentino. Quão muitas graças vos serão concedida hoje e estas graças deveis leva-las para o local onde moram. Ai perceber-se-á que algo Santo provém de vós e isto será uma rica pesca.

Muldaner

“No dia de amanhã estareis em Mulde e celebrais lá o Santo Sacrifício Tridentino.”. Os seguidores seguem para Mulde e realizarão ai a Santa Missa Tridentina segundo Pio V.

Assim, abençoo-vos Eu a todos na Trindade e abençoa-vos hoje, de maneira especial, vossa Rosa Rainha de Heroldsbach, a Vencedora e Rainha de Wigratzbad com todos os Anjos e Santos, o Deus Trino, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Amém.

Anne: Louvado e bendito seja o Santíssimo Sacramento do Altar pelos séculos dos séculos. Amém.