10 Setembro 2017 – Décimo Quarto Domingo Depois de Pentecostes.

Mensagem do Pai Celestial à Anne.

10 Setembro 2017 – Décimo Quarto Domingo Depois de Pentecostes. O Pai Celestial fala após o Santo Sacrifício da Missa no Rito Tridentino, segundo Pio V., através de Meu solícito, obediente e humilde instrumento e filha Anne.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Nós celebramos hoje,  Décimo quarto domingo depois de Pentencostes, um devoto Santo Sacrifício da Missa no Rito Tridentino segundo Pio V. O Altar do Sacrifício e o altar da Mãe de Deus estavam imersos em luz dourada brilhante e providos com um abundante arranjo de flores e especialmente com rosas de várias cores. Os Anjos entravam e saiam durante o Santo Sacrifício da Missa e adoravam o Santíssimo no Tabernáculo. Relevante para mim foi que pude ver alguns Santos conhecidos, como o Santo Padre Kentenich (que personificou o Pai Celestial em seu tempo de vida e ainda não foi canonizado na terra), o Santo Padre Pio, a Santa Juliane de Lüttich, o Santo Francisco, o Santo Domingo de Gusmão e ainda outros Santos que Eu não conhecia.

Padre Kentenich e também o Padre Pio lutaram ambos pela verdadeira Santa Missa no Rito Tridentino, segundo Pio V. e não quiseram reconhecer o modernismo. Ambos faleceram após o último Santo Sacrifício da Missa em latin e não reconheceram o Vaticano II.

Não seguiram seus passos, mas os forçaram a celebrar o banquete do povo modernista. Estes ambos Santos não puderam alcançar nada na terra. Em razão disso, eles têm porém um poder de intercessão no céu, o qual nós podemos invocar. Eles se tornaram praticamente em Mártires da alma. No mesmo ano de 1968 e no mês de setembro, ambos entraram na eternidade. Até hoje não aceitaram esta verdade vivida, mas celebram o modernismo e se convida para a comunhão na mão.

Na festa das Sete Dores da Virgem Maria tem-se o dia da morte do Padre Kentenich e no dia 23 setembro a do Padre Pio. Nós queremos suplicar a estes dois Santos no céu, para que eles nos auxiliem e que seja celebrada o Santo Sacrifício da Missa da tradição.

Lamentavelmente, não se reconhece hoje o Criador de todo o mundo. Maltrata-se, despreza-se as coisas religiosas no mundo e lamentavelmente, coloca-se em posição de rejeição à gloriosa Natureza, a qual o Pai Celestial nos presenteou por amor. Os eventos da natureza, as inundações, os terremotos e outras catástrofes não se atribui ao sobrenatural, pois querer-se-á explicá-los humanamente.

O Grande Deus permanece o Criador de todas as coisas e Ele somente mantém o mundo em Suas mãos de Pai. Ele criou o mundo em seis dias e no sétimo dia Ele descansou, pois com isto Ele quer dizer-nos que nós devemos celebrar o sétimo dia como o dia do Senhor e somente ao Criador prestar honras.

Nós queremos agradecê-Lo em um Santo Sacrifício da Missa aos domingos e feriados, para que nós recebamos força para o dia a dia. “Nós devemos trabalhar seis dias, porém no sétimo dia, nós devemos descansar”, assim diz-nos a Sagrada Escritura. Lamentavelmente, a humanidade não observa isto hoje. Os Mandamentos de Deus são para que os observe, pois o Pai Celestial deu-lhos a nós como aconselhamento para a vida. Se as pessoas escutam os conselhos do Pai Celestial, então poderíamos participar todos os dias de um devoto Santo Sacrifício da Missa.

Jesus Cristo, o Filho de Deus, deixou-nos esta como herança por amor a nós. Através deste Santo Sacrifício da Missa podemos configurar o domingo como Domingo do Senhor e à Ele oferecer este dia, mostrar à Ele, estar aí totalmente para Ele e deixar todo o trabalho para trás. Assim é a vontade do Pai Celestial. Nós, praticamente, recuperamos a força no domingo para a semana vindoura, pois nós somente podemos gerí-la, caso nós prestarmos honra à Jesus Cristo.

A fé não é jamais uma obrigação, mas nossa mais livre decisão. As pessoas interpretam a fé católica, como que os fiéis têm a obrigação de ir à igreja aos domingos. Isto não é assim, pois nós podemos encontrarmos a Jesus Cristo em Seu Sacramento. Isto deve ser uma alegria. O Santo Sacrifício da Missa é praticamente uma dádiva do céu para modelar nossa vida mais sociável e mais simples.

O Pai Celestial falará hoje, no décimo quarto domingo após Pentecostes: Eu, vosso Pai Celestial, falo agora e neste momento, através de Meu solícito, obediente e humilde instrumento e filha Anne, que se encontra totalmente em Minha vontade e repete somente palavras que hoje vem de Mim.

Amados filhos do Pai, amados filhos Marianos, quão muito Eu estou preocupado com o vosso bem-estar. Quão muito tenho atenção a tudo o que vos passa. Com muitos Eu não estou de acordo. Muitos acreditam que eles já vivem a verdade no tempo de hoje e não precisam de mudar. 

De onde a humanidade pode saber hoje da verdade?  A obrigação de cada sacerdote é também ainda hoje esclarecer os fiéis de suas comunidades paroquiais, as quais são responsáveis. O que é de fato a verdadeira fé? Podem os fiéis ainda hoje entender (algo), se o pecado é visto como verdade e (ainda por cima) é confirmado através dos sacerdotes? Como é isto, se o Pastor supremo vive e testemunha este pecado como verdade? Não, Meus amados, isto não deve ser espalhado. Eu, como Deus Trino, gostaria definitivamente de revelar o Mandamento do amor e da verdade. Por isso, nomeei muitos videntes, os quais vivem e difundem corajosamente Minhas palavras e instruções. Lamentavelmente, hoje de maneira geral, diz-se: “Nós temos sim a biblia, pois não precisamos de acreditar nestas revelações privadas.”

No tempo de hoje a humanidade não é mais esclarecida. Os jovens escorregam frequentemente para dentro de uma relação e antecipam o casamento. Por isso, eles não podem perseverar desta forma no casamento. Um casamento verdadeiro, que deve ser durável, tem que ter um tempo de preparação, o tempo de noivado. Os sacerdotes de hoje ainda esclarecerão os casais sobre o verdadeiro casamento e sobre o pecado? Certamente não. O ajustar um ao outro para os jovens é estranho. Eles não reconhecem que cada pessoa tem falhas e fraquezas e o parceiro tem que, agora, aceitar estas fraquezas, o que não é fácil. Não se deve colocar a si mesmo em primeiro plano e ver somente os próprios desejos cumpridos. No casamento, deve-se ajustar ao outro no casamento, assim, quando as diferenças de opiniões colidirem-se, Meus amados, ambos têm que estar preparados para entrarem em acordo. Caso vós não fazeis isto, então o casamento está condenado à falha. Assim, ocorre um grande ferimento na alma.

Como vós lidais com estes ferimentos? O melhor seria fazer uma Santa Confissão válida e descrever toda a situação a um sacerdote. Contudo, encontrais vós ainda hoje um sacerdote que vos escutais e que vos compreendeis? Não, este não está aí hoje para se encontrar, pois os sacerdotes de hoje não têm tempo algum. Para onde ides vós agora, Meus amados? Procurais um psiquiatra? Este pode ajudar-vos? Não, lamentavelmente ele não pode. Para fortalecer sua capacidade de perseverança, ele irá indicar-vos o falso caminho. Vós recebeis o conselho para entrar num outro relacionamento; para não permanecerdes sozinhos. E este relacionamento falha, porque vós não reconhecestes vossa falha. Este outro relacionamento é um pecado grave diante de Mim, diante do Altíssimo Deus na Trindade.

Vós deveis agora refletir: “porque este casamento falhou? Em que ele falhou? Cometi eu a falha ou foi o outro? O que eu fiz de errado?“ Quando duas pessoas separam, então NUNCA uma só pessoa é a culpada. Temos pedido suficientemente perdão? Temos mesmo desistido e não reconhecemos o nosso problema diante do Pai Celestial numa confissão? Temos pedido à Mãe de Deus ajuda ou ao São José, que é responsável pela família? Temos levado ao outro suficiente amor e compreensão? Temos vivido em relações pré-matrimoniais? Entretanto, antecipastes assim o casamento. Somente numa união é permitido realizar este ato de amor. Vós não deveis colocar a sexualidade em primeiro lugar.

O casamento é um ato de amor comum e, deste amor, emergem os filhos. Assim é que deve ser de acordo com o Meu desejo e vontade. Eu, como o Terceiro nesta aliança, tenho neste amor a Minha parte. Caso surgisse então uma criança, então Eu darei o sopro da vida nesta criança que emerge. Eu decido sobre esta vida e jamais é a pessoa que decide se a criança pode viver. E como é com os pais desta criança? Eles têm que aceitá-la como é. Seja deficiente ou não. Não esperastes por esta criança até este momento? Tendes direito assim de matá-la, como acontece hoje? Não. Tendes o direito de definir quando esta criança pode vir ao mundo? Não. Eu, o Criador de toda a vida e morte decido sobre a vida, Eu somente. Por favor, não esqueçais disto, Meus fiéis.

Hoje, lamentavelmente as coisas são diferentes. Hoje, as pesquisas progrediram tanto, que se pensa ser o soberano sobre a vida. Tem-se já apresentado pesquisas que se pode manipular crianças como se quer. Não se aceita as crianças de Minha mão. Então, como se dá isto depois? Como se educa as crianças? Entregam-nas numa creche. Gostaria-se de trabalhar como mulher. Gostaria de ganhar dinheiro. Isto é correto? Não. Quando o esposo ganha muito pouco, Meus amados, então vós podeis ganhar um extra no tempo livre.

Em primeiro lugar está a educação dos filhos na verdadeira fé, no amor e na moral. Que as eduquem no amor e não em outras mãos. Vós tendes a responsibilidade de educá-las no religioso. Fazeis isto hoje? Não. Para vós tudo é muito. A televisão, a internet, o telemóvel e os jogos de computadores são utilizados como brinquedos das crianças. Tudo hoje é possível. Estas possibilidades são também permitidas para vós, Meus amados pais? Não cometeis aí falhas como pais? Não deveis reconhecer isto e confessar, pois vós não assumistes nenhuma responsabilidade por vossos filhos? Por favor, pensai (nisso), vós que destes ouvidos à estes sacerdotes, os quais vos trouxestes para o falso trilho.

Refleti, Meus sacerdotes que consagrastes a Mim, observastes a responsabilidade para com os fiéis? Podeis fazer praticamente, o que vós quereis? Podeis alterar o Santo Sacrifício, que o Meu Filho Jesus Cristo estabeleceu, segundo a vossa conveniência? Vós fizestes isto. Como quereis chegar no caminho correto? Eu disse frequentemente que o Vaticano II é inválido. Estas possibilidades que vós possuís, não podeis aplicá-la. Vós tendes que celebrar um Santo Banquete Sacrifícial no Rito Tridentino, segundo Pio V., e não outra coisa. Vós não podeis alterar nada. Assim, quando celebrais devotamente o Santo Sacrifício da Missa, estais protegidos do mal e do modernismo. Assim, reconheceis a verdade e podeis também testemunhá-la. Vós estais aí para transmitir a fé, para administrar os Sacramentos dignamente e não alterar nada, mas sim sacrificar-vos totalmente ao Meu Filho Jesus Cristo no Santo Sacrifício da Missa.

Na Transsubstanciação ocorre uma fusão, isto é, vós, Meus amados sacerdotes, tornais um com Meu Filho Jesus Cristo. Vós colocastes a batina do Santo Sacrifício da Missa. Neste momento, no qual ocorre a fusão e vós vos tornais um, ocorre a transsubstanciação em vós. Neste momento, não viveis mais vós, mas Cristo vive em vós. Ele vive plenamente em vossos corações. Este ser um permanece um mistério para todos. Por isso, deveis preservar este mistério. Vós não podeis falar estas palavras da Transsubstanciação de frente para o povo.

Como poderia ocorrer esta Transsubstanciação, se vós não visais o Meu Filho Jesus Cristo e até mesmo dais as costas para Ele? Se vós já há anos colocastes a batina de lado, como quereis então incorporá-Lo? Mesmo quando vós nem mesmo estais dispostos a usar a batina? Nem mesmo uma única parte que pertence à batina, vós nao quereis usá-la de forma alguma. Se vós alterais tudo o que pertence ao Santo Sacrifício da Missa, o que significa um alívio para vós, então não podeis servir a Mim na Trindade. Vós quereis ajustar-vos ão povo, porém não ao vosso amoroso Salvador que espera por vós. Este amor, Meus amados sacerdotes, Eu exijo de vós no futuro, para que haja sacerdotes Santos de novo. Eu gostaria deixar surgir de novo Minha Santa Igreja Católica. As pessoas devem perceber o que na verdade pertence à fé católica e o que contém o pecado.

Como Eu vivo Minha fé católica? Eu já fi-la uma juntamente com as outras religiões, através do ecumênico? Eu já disse que isto tudo é uma coisa só e eu devo reconhecer as outras religiões, seja eu evangélico ou católico? Em cada fé contém algo de católico? Também eu a vejo no globalismo? Isto é hoje moderno e contemporaneo? Não, Meus amados, há somente uma única, verdadeira, católica e apostólica fé. E esta estabeleceu o Meu Filho Jesus Cristo para todos os tempos. O sacerdócio é um ministério consagrado, um Sacramento que é indissolúvel e imutável. Por isso, os sacerdotes têm mãos consagradas. Estes não são para substituir por leigos, assim como é manipulado hoje. Por isso, peço-vos urgentemente, amados sacerdotes, retornai sim para a verdade. Porque o Meu anseio por vós tem que crescer continuamente? Porque derramo lágrimas de amor por vós? Vós não ouvis as Minhas palavras e as Minhas instruções, as quais Eu deixo chegar a vós por amor. Eu não vos forço a viver e a testemunhar a verdadeira fé. Eu desejo de vós que, definitivamente, arrependeis e que vossas almas tornem-se unidas Comigo. Em grande amor, diz-vos isto vosso Pai Celestial.

Vós estais diante da grande intervenção, que lamentavelmente terá lugar, porque a humanidade não ouve às Minhas palavras, mas persistem na indiferença. Elas não vivem segundo a verdade, mas se carpintejam segundo as suas imaginações de uma fé própria, que elas podem alterar de acordo com a convenciência.

Eu abençoo-vos agora com todos os Anjos e Santos, especialmente com vossa amorosíssima Mãe Celestial na Trindade, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Amai o amor, pois este é eterno.